Qual a diferença entre público-alvo e buyer persona?

A infinidade de termos técnicos que existem hoje não só no mundo do Marketing Digital mas em outras áreas também deixam uma “pulga atrás da orelha” de quem está lendo e não entende o significado.

Um desses termos que gera uma confusão na cabeça especialmente dos empreendedores é o buyer persona. E é muito importante entendê-los, já que para construir uma estratégia de sucesso precisamos conhecer os nossos potenciais compradores.

Nesse artigo aqui vamos explicar sobre o que é e qual a diferença entre ele (buyer persona) e público-alvo, além de conhecer o conceito de cliente ideal. Acompanhe!

Afinal, o que é público alvo?

público-alvo

Basicamente, público-alvo é um recorte que pode ser de forma demográfica, social, econômica e comportamental de um conjunto de pessoas que as empresas acreditam ser futuras consumidoras dos produtos ou serviços oferecidos por elas. 

Ao criar um público alvo podemos considerar dados como idade, sexo, formação educacional, poder aquisitivo, classe social, localização e hábitos de consumo.

Vale dizer que as empresas estão deixando de usar o público alvo no processo de criação da estratégia de marketing. O motivo é que a era digital provocou mudanças no comportamento do consumidor, o que fez ser necessário entender mais sobre o que se passa em um processo de decisão de compra.

E se você não gosta muito dessa infinidade de termos, saiba que foram as mudanças citadas acima que fizeram com que surgissem outros termos como buyer persona e cliente ideal — no qual vamos falar mais sobre ainda neste artigo.

Porque eu deveria usar o público-alvo?

Apesar de não ser o ideal, ainda sim é possível usar o público-alvo na criação de estratégias de marketing. Muitos profissionais que atuam como afiliados para ganhar uma renda extra, acabam utilizando público-alvo ao invés de personas.

A melhor hora de se usar essa ferramenta é na fase onde você ainda precisa estudar mais sobre o mercado, já que para criar o público-alvo, você não precisa gastar muito tempo fazendo pesquisas.

Exemplos de público-alvo

Para você entender melhor o conceito de público alvo, separamos 3 exemplos práticos:

  • Homens, de 20 a 30 anos, que se interessam por negócios, renda maior do que 3 salários mínimos para camisas minimalistas com estampas sobre investimentos;
  • Mulheres, de 13 a 14 anos, com renda familiar maior do que 3 salários mínimos, que gostem de festas e se interessaram por uma festa de 15 anos;
  • Empórios de produtos da roça de Belo Horizonte, com faturamento ainda pequeno para comprar diretamente dos fazendeiros e que procuram trazer novidades para a clientela.

O que seria cliente ideal?

O Ideal Customer Profile (ou cliente ideal) é uma descrição que usamos para resumir quem é o nosso melhor cliente. O melhor cliente é aquele que entende o valor do nosso produto, tem recorrência de compra e tem suas necessidades supridas com um ótimo desempenho.

Exemplo de cliente ideal

  • Empório de produtos da roça, localizado em uma zona comercial forte, com mais de 5 funcionários e que trabalha com queijos especiais. Esse seria um cliente ideal para um fazendeiro que produz queijos artesanais.

O que é buyer persona?

Como falamos lá em cima, o público-alvo não tem sido muito usado mais pelos profissionais de marketing na hora de criar estratégias. 

O que tem substituído bem o uso de público-alvo, mostrando ser efetiva com os novos hábitos do consumidor moderno, são as personas ou buyer personas, que nada mais é do que um perfil não real do cliente ideal da sua empresa. Para aqueles que trabalham como anunciantes em plataformas como Facebook ADS, é importante fazer um bom treinamento. Por isso, aqui você pode checar qual é o melhor curso de facebook ads de 2022.

O objetivo de se criar uma persona é poder entender melhor sobre o que o consumidor potencial da sua empresa precisa, para ser mais efetivo nas campanhas de marketing.

Clientes ideais da minha empresa: Onde vivem? O que comem? Onde trabalham? Onde estudam? Como se entretém? Por onde se entretém? 

Brincadeiras a parte, na persona geralmente encontramos um nome fictício, uma história curta sobre o dia a dia da pessoa, profissão, hábitos de consumo, o estilo de vida, as redes sociais que ela mais usa, hobbies, valores, dores relacionadas ao seu passado, dúvidas e ambições.

Porque eu devo usar a persona?  

Usar a persona vai fazer com que você se aproxime mais do seu potencial cliente, podendo criar conteúdos mais direcionados, tanto em pauta, quanto em linguagem. 

A persona também é essencial na hora de criar a estratégia para captura de leads, no processo de criação da isca digital de alta conversão, ou seja, algum conteúdo que tenha valor para ser oferecido de graça ao seu potencial cliente em troca do email — que pode ser usado para ir aquecendo o lead até ele estar preparado para adquirir um produto.

Exemplo de persona

  • Alberto tem 17 anos, é apaixonado por negócios e investimento, é investidor e trabalha como redator freelancer. Por ser menor de idade, ainda recebe um dinheiro de ajuda do pai, consegue ter uma renda de quase 2 salários mínimos com os seus freelas e pretende criar um negócio que possa lhe proporcionar uma independência financeira. Não gosta do Instagram, por ser a rede social onde todo mundo só mostra a parte boa da vida e não os problemas, a preferência de Alberto é pelo Twitter onde consome conteúdo de “gringos”. A principal dificuldade do Alberto é ser produtivo, já que ele procrastina muito. Ele mora em Belo Horizonte, mas não gosta de sua cidade e tem desejo de morar em outro estado — ou até mesmo em outro país. 

Como foi possível observar, para desenhar a sua persona, é preciso que você vá muito mais além, entendendo as suas dores e seus desejos.

E aí, gostou do conteúdo?

Comente sua opinião abaixo e compartilhe o conteúdo com outras pessoas! 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.